Campanha contra sequestro de jovens na Nigéria

Os insurgentes islâmicos do Boko Haram tem frequentemente sequestrado cristãos em seus ataques. Uma escola secundária do governo em Chibok, no norte da Nigéria foi o alvo dos terroristas.

Líderes do Boko Haram reivindicaram formalmente a responsabilidade pelo seqüestro em massa de 243 alunas e, conforme relatado pelos pais dos sequestrados, Boko Haram é suspeito de ainda estar na posse de mais de 230 estudantes que estão sendo vendidos para escravidão doméstica e sexual.

Os alvos da insurgência tem sido as escolas, instituições governamentais e minorias religiosas, principalmente cristãos, como parte de uma estratégia mais ampla para criar uma sociedade puramente islâmico no norte da Nigéria. Só em 2014, estima-se mais de 2.500 inocentes foram assassinados pelo Boko Haram, muitos dos quais são conhecidos como cristãos cujas comunidades foram destruídas e igrejas incendiadas.

Grupo extremista
O Boko Haram, que significa em língua local “a educação não islâmica é pecado”, luta para impor a “sharia” (lei islâmica) na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristã no sul.

Com 170 milhões de habitantes integrados em mais de 200 grupos tribais, a Nigéria, o país mais populoso da África, sofre múltiplas tensões por suas profundas diferenças políticas, religiosas e territoriais.

Apoio Internacional

michelle obamaA primeira dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, entrou na campanha internacional “#BringBackOurGirls (Traga Nossas Meninas de Volta, em português) em prol da libertação de mais de 200 garotas sequestradas por integrantes do Boko Haram.

A esposa de Barack Obama publicou em seus perfis nas redes sociais nesta quarta-feira (7),
“As nossas orações estão com as meninas nigerianas desaparecidas e suas famílias. É hora de trazer nossas garotas de volta”

Várias nações estão apoiando o governo nigeriano nesta causa. Os Estados Unidos, a França, a China, o Canadá e o Reino Unido já anunciaram que estão à disposição do governo para encontrar as jovens. Dentre as ações oferecidas, estão o envio de analistas e fornecimento de dados de satélite, afim de que se descubra para onde as meninas foram levadas.

A polícia da Nigéria ofereceu uma recompensa de 50 milhões de nairas (cerca de US$ 300 mil, ou R$ 669 mil) para quem fornecer informações factíveis sobre o paradeiro das garotas sequestradas. 

O porta-voz da polícia local, Frank Mba, convocou “todos os cidadãos patriotas que tenham informação útil”. MBA garantiu aos cidadãos que qualquer informação será tratada “de forma anônima e com a máxima confidencialidade”.

A polícia anunciou a recompensa um dia após os Estados Unidos terem oferecido ajuda para a Nigéria solucionar o crime. Fonte: G1 e Charisma News

Print Friendly

Comentários

comentários

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*